piorando Paulo Coelho

19 10 2007

Tive a idéia de reescrever um trecho de “O Alquimista” de Paulo Coelho. Pra quê? Just for fun.
A primeira versão é o original. A segunda é a minha.

O horizonte se tingiu de vermelho, e depois apareceu o sol. O rapaz lembrou-se da conversa com o pai e sentiu-se alegre; tinha já conhecido muitos castelos e muitas mulheres (mas nenhuma igual àquela que o esperava em dois dias). Tinha um casaco, um livro que podia trocar por outro, e um rebanho de ovelhas. O mais importante, entretanto, é que todo dia realizava o grande sonho de sua vida; viajar. Quando cansasse dos campos de Andaluzia, podia vender suas ovelhas e tornar-se marinheiro. Quando cansasse do mar, teria conhecido muitas cidades, muitas mulheres, muitas oportunidades de ser feliz.

O horizonte vestiu-se de vermelho e o sol finalmente surgiu. O rapaz recapitulou a conversa com o pai e encheu-se de júbilo; conhecera já muitos castelos e muitas raparigas. Nenhuma, no entanto, como aquela que lhe antecipava a vinda em dois dias. Possuía uma aljuba, um livro do qual poderia fazer escambo e um rebanho de ovelhas. De maior relevância, porém, era o fato de que diariamente tornava real o seu maior anseio em vida: correr mundo. Quando se enfadasse dos campos de Andaluzia, poderia dispor das suas ovelhas e tornar-se marinheiro. Quando se entediasse do mar, teria, então, visitado muitos vilarejos, conhecido muitas donzelas e experimentado várias ocasiões felizes.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: